15 de junho de 2017

Formatura que pode acabar com a capacidade dos meus aportes
Fala galera,
Aqui estou em pleno feriado e coincidentemente caiu no meu aniversário, to com diversos trabalhos da faculdade por fazer, inclusive o Pré-Projeto do TCC e o meu estágio... é um saco, ainda mais que só penso em ler e estudar sobre finanças, em especial ações, estou cada dia mais vadio, ainda bem que tenho facilidade de pegar as coisa, mesmo lendo sobre tudo menos o que preciso ler pra faculdade, acredito que deve ser justamente por isso que adquiri a facilidade.

O tão sonhado canudo se aproxima, espero que traga consigo outro tipo de papel também, se é que me entendem. :)

Como já falei em outros posts, estou fazendo faculdade de administração, com previsão de termino no final desse ano, começo do ano que vem (atrasou por conta de uma greve que tivemos) não me recordo se falei, mas minha digníssima também está cursando o meu curso que eu (inclusive ela se aproveita de mim por conta disso), está apenas um semestre e algumas matérias atrás de mim.

Pois bem, é ai que vem o problema: a formatura, acredito que a maioria já imagina o quanto pode custar essa brincadeira, não é muito barata, e o pior vem agora, eu desde o inicio não queria festa e aquelas coisas todas, e grande parte de nossa turma também não, talvez fazer  pelo menos algumas fotos e pronto. Porém, novamente vem ela: minha digníssima esposa, quer por que quer essa formatura.

Meio que sem querer ontem vi uma proposta de formatura e de bate-pronto questionei aquilo, e ai deu merda galera, começamos um principio de discussão, ela insiste nessa formatura, disse que não vai passar quatro anos na faculdade pra não fazer nada, questionei se ela tinha dinheiro pra pagar aquilo, e disse que iria pagar com vendas de rifas, festa e tal.

Mas ai fiquei pensando: e se não tiver essas rifas e festas, advinha o que vai acontecer? os aportes vão reduzir drasticamente ou até mesmo não mais acontecerão se todo o resto se manter da forma forma ou coeteris paribus (pra acabar com a rotulagem que marombeiro é burro, taí uma palavra difícil, rsrsrsrs)

Pois é... é o famoso deu merda, minha capacidade de aporte é muito limitada a nossa renda líquida se somar os dois não passa de R$ 3.000,00 (melhor dizendo nem chega, kkkkkk) então minha capacidade de aporte estimada para esse ano é de R$ 500,00 reais, algo em torno de 17% da renda, e pra o ano que vem estava estimando algo em torno de R$ 800,00 pois acredito que terei reajustado melhor nossa vida financeira e permita aumentar o aporte.


E agora vem a crise... o que eu faço? não consigo convencer ela de mudar de ideia, estou sendo muito mesquinho? estou sofrendo por antecipação? qual a alternativa para isso? estou bastante preocupado, pois se isso acontecer terei sérios problemas com os aportes, pois os parcelamentos da formatura dela iniciam nos próximos meses.



É engraçado como as pessoas ficam procurando recompensas por fazer coisas que aparentemente estão sendo obrigadas a fazer, mas não são(pelos menos não literalmente),  acredito que não é só pelo fator de passar quatro anos na faculdade que eu vou mesmo sem condições enfiar os pés pelas mãos.



Hoje ela veio me dizer que esta sem roupa, sapatos, andando maltrapilha e que nunca andou assim antes, em parte concordo, porém argumentei com ela o seguinte: de que adianta andar bem vestida, devendo tudo e sem ter um real ao menos caso tenha alguma urgência? creio que não vale apena.

Falo constantemente pra ela que devemos poupar agora pra garantir uma vida mas tranquila no futuro, nem que para isso tenhamos que abdicar de algumas coisas, porém é difícil dela entender isso, sempre argumento também que o mais importante não é quanto se ganha, mas sim quanto se poupa, quando falo isso, meu deus! é briga na certa, enfim tá complicado convencer ela sobre a mudança de mentalidade, mas sigo ai na luta. pena que talvez os aportes reduzam, aguardaremos então cenas dos próximos capítulos.


28 de maio de 2017

Como comecei nos investimentos
Antes tarde do que nunca.

Fala galera, como falei no post sobre mim , vou contar como iniciei no mundo dos investimentos.

Como falei no post anterior sempre quis morar fora do Brasil, países como EUA, Canadá, Europa como um todo (Irlanda, Alemanha e outros tantos), Austrália então nem se fala, sempre me fascinaram, é incrível como desde cedo tive o pensamento de morar fora do país, seja pela qualidade de vida ou pelas oportunidades que esses lugares proporcionam ou pela falta de segurança, saúde, educação, e outras coisas aqui no Brasil. Aqui é o lugar em que você trabalha tanto pra conseguir algo, e quanto finalmente consegue nego vem, te rouba e te mata sem pestanejar. é triste, porém e a realidade.

Comecei por volta de 2013, 2014 pesquisando sobre intercâmbio, mas sempre me deparava com um grande problema:  o dinheiro. Eu sempre fui de classe media baixa, os valores pra mim eram irreais.

Depois que casamos e mudamos do Nordeste comecei comentar com  ela o quanto tinha o sonho de fazer um intercâmbio, um ano sabático imerso em outra cultura , só que os valores eram muito caros, e quanto falava isso pra ela, me dizia que "pobre não viaja, mal tem dinheiro pra se manter" (nessa época estávamos muito apertados, cheio de contas, cartões e tal), foi logo quanto iniciei na faculdade de ADM também e toda vez que conversávamos sobre isso brigávamos.

Passado um tempo na faculdade descobri uma matéria que mudou minha visão do mundo: Matemática Financeira, acredito que foi no segundo semestre bem no inicio, quanto vi o professor explicando sobre o quanto pequenos valores investidos ao longo do tempo se transformariam em um montante fabuloso, achei aquilo fascinante, e mais ele começou falando sobre a prática que nós brasileiros temos em fazer prestações pagando juros altíssimos (estava me vendo naquele exemplo)  e sempre afirmam que não possuem dinheiro pra compra à vista mais fazem diversos carnês que se somados os valores são bem altos.

Depois desse choque de realidade passei a mudar minha visão sobre compras à prazo cartões e tudo mais, agregado a isso a vontade de fazer o intercâmbio que ainda me dominava, porém  fui levar esses ensinamentos pra casa e me dei mal.
"Como vai comprar à vista se não tem dinheiro, tem que comprar parcelado mesmo"
Foi o que escutei da minha digníssima, é, foi sofrido, e complicado também, acabamos nesse período sujando os nomes, não pagava mais os cartões de crédito, não tínhamos nem o dinheiro nem o nome pra comprar a prazo, então dependíamos de terceiros pra comprar as coisas em seu nome, pois como recém mudamos ainda  tínhamos quase nada.

Depois de um tempo conseguimos sair das contas, e agradeci imensamente pelo banco ter cancelado o meu cartão, enfim limpei meu nome, porem as parcelas ainda nos perseguiam.

Empolgado cada vez mais com a possibilidade de planejar uma viagem de intercâmbio comecei a estudar formas de economizar mensalmente sem que minha esposa soubesse, foi ai que fui estudando como guardaria uma parte, mesmo que bem pouca e não tivesse fácil acesso pra não ser tentado a retirar.

Comecei lendo sobre Títulos de Capitalização, passei pela Poupança (mas era de fácil acesso) e fui lendo até que cheguei no Tesouro Direto, aquilo me chamou a atenção e fui pesquisar mais sobre, no entanto estava com muito receio e medo daquilo, afinal nunca tinha ouvido falar sobre isso.

Foi aí que conheci um site fantástico: O Clube dos Poupadores,  comecei a consumir os seus conteúdos que eram e ainda são fantásticos, foi a partir dele que ganhei a confiança e finalmente no ano de 2015, compre meu primeiro título, um antigo LTN (ainda bem que mudaram os nomes pois era rui pra cara!@# entender o que significava cada um) foi apenas 125,93, mas pra mim representava o início de um novo pensamento e comportamento sobre o dinheiro.

Um pequeno passo para mim, um grande salto pra humanidade.
À partir daí tentava ao máximo depositar uma quantia, sem que minha esposa soubesse, só que  o valor era pequeno e sempre deixava pra quando sobrasse, mas ainda assim consegui guardar um pouco lá.

Depois de um tempo comecei falando pra minha esposa sobre guardar um pouco todo mês pra formar uma reserva de emergência pra caso ocorra algo, mas ela continuava a dizer que não tinha como guardar nada.

Eh meus amigos foi tenso o negócio, aos poucos ele fui mudando um pouco o pensamento, inclusive quanto recebeu a rescisão dela peguei quase tudo (por volta de 3 mil) e coloquei no tesouro, quantas vezes ela me encheu o saco pedindo o dinheiro dela, e eu dizia que não dava pra tirar.

Então é isso pessoal essa é a minha história de forma resumida de como comecei nos investimentos, ainda continuo tentando mudar o pensamento de minha esposa, mas e bem complicado, ela melhorou um pouco, porém ainda tá bem difícil.

20 de maio de 2017

Carteira


Fala galera, vou manter esse post fixo para que fique mais organizado e todos saibam como está minha carteira atual, vou procurar manter sempre atualizada.

Atualmente estou utilizando a planilha do Surfista Calhorda, ainda estou me familiarizando com ela, pois ela e muito top, e um pouco complicada de entender tbm, mas vamos lá:

Atualmente meus investimentos estão alocados praticamente em Renda Fixa, em títulos do tesouro a ideia é inicialmente criar um colchão de emergência, por isso a maioria está alocada em tesouro Selic (outros comprei no inicio porque não sabia direito o que tava fazendo), tenho alguns trocados na poupança tbm, pra casos que precise de liquidez imediata.


Pretendo distribuir minha carteira da seguinte forma: 75% em ações e 24,7% em Renda Fixa (inclui parte alocado na poupança também) e 0,3% em caixa que seria valores pra pagar custos na corretora e tal.



Atualmente está bem irregular minha alocação pois pretendo começar a comprar algumas ações através de novos aportes, a quantia em caixa refere-se a um valor que tenho parado na ModalMais e um pouco na Easynvest.

Abaixo segue os títulos da minha carteira:



Então é isso pessoa, essa é a minha carteira atual, à medida que forem ocorrendo alterações vou tentar ir atualizando aqui.
Sobre Mim
Esse sou eu galera. kkkkkkkkk, SQN, sou fã do shape dessa cara. quem é da maromba conhece.



Fala pessoal, vou contar um pouco sobre mim, e o que me levou a criar o blog.

Bom, não sei muito bem por onde começar, confesso que é um pouco estranho escrever com o medo de deixar alguma deixa pra que te conheçam, mas enfim vamos lá.

Nasci nos anos 90, tenho entre 25-30 anos, sou casado, minha esposa tem essa faixa de idade tbm, atualmente (2017) faço faculdade de administração, e com fé em deus me formo no começo de 2018, trabalho na iniciativa privada em uma multinacional no segmento de alimentos (infelizmente o salário não e tão alto quanto o renome que ela detém). sou natural do Nordeste, mas não moro atualmente por lá.

Sou um cara que gosta muito de atividades físicas, em especial musculação (daí o nome do blog) não tenho um corpo escultural, mas estou em busca do meu melhor, amo puxar ferro.

A ideia do blog, veio pra colocar pra fora as emoções, opiniões, pensamentos e aprendizados que tenho e sinto ao longo dos dias, pois infelizmente por mais que tenha melhorado minha esposa não compartilha delas, nem ao menos tenta estudo algo pra me provar que estou errado através do diálogo.

Sempre tive o sonho de fazer um intercâmbio, na verdade de morar fora do país, e o intercâmbio era o pontapé inicial, porém como não tenho nem o dinheiro nem o apoio comecei a pesquisar formas de conseguir realizar esse sonho, foi aí que descobri a educação financeira, me apaixonei e não parei mais. em outro post vou mostrar como iniciei no mundo dos investimentos.

E cá estou, criei coragem de escrever o blog, pra ajudar a galera que tbm passa por essa mesma situação que eu, e pra ir aprendendo com a galera cada dia mais. Tentarei manter pelos menos 1 post mensal, pois estou nos semestres finais da faculdade e tá uma loucura

Ah, se alguém ai mais experiente tiver algumas dicas e cuidados de como manter o anonimato o que fazem e como fazer fico agradecido, pois ainda estou meio perdido.

17 de maio de 2017

O Início

Olá amigos da Blogosfera, aqui surge mais um em busca da tão sonhada Independência Financeira, já venho acompanhando o mundo das finanças faz quase dois anos, lendo e estudando sobre o assunto, mudando meus pensamentos e comportamento.

Me arrependo muito de não ter encontrado a Educação Financeira antes, é incrível como parece que acordamos de um sonho quando a descobrimos, passamos a ver as coisas com outros olhos, totalmente diferente do habitual.

E mais recente uma nova descoberta! sim vocês mesmos, é incrível como o pessoal se ajuda por aqui, é uma corrente que se une em prol do sucesso de todos, claro que sempre tem aqueles que querem acabar com isso, mas ainda sim a Finansfera segue firme.

E cá estou também pra somar e aprender com vocês a cada dia mais, ainda sou principiante, mas estou em constante aprendizado pois conhecimento nunca é demais. até ia colocar o nome do blog de Noob Investidor, mas percebi que já tem (rsrs).

O nome do blog veio porque gosto muito de musculação e estou começando a gostar demais dos investimentos também, pronto surgiu ai o Maromba Investidor