20 de agosto de 2017

Intensidade ou Efetividade, o que é mais Importante?

Intensidade ou Efetividade, o que é mais Importante?
Designed by Freepik
 Fala Galera,

Acredito que assim como eu, alguém já iniciou um projeto, um plano, uma ideia um objetivo... e acabou no fim das contas desistindo, abandonando, deixando de lado ou até mesmo o famoso dando um tempo que nunca mais retoma.

Pois é, infelizmente sou um cara que tenho sérios problemas em começar e terminar algo (espero que não seja assim com o blog), principalmente quando isso requer muito tempo, apesar das minhas melhorias ainda tenho sérias dificuldades de praticar a minha paciência.



Quando inicio algo, fico extremamente empolgado, e cheio de ideias, quero fazer tudo de uma vez é aquele turbilhão de pensamentos e a ânsia de fazer tudo o mais rápido possível, de certa forma sou muito ansioso, e isso me atrapalha em diversos momentos da minha vida.

A Musculação por exemplo, se eu tivesse me mantido firme desde o primeiro momento que adentrei no recinto sagrado, onde os marmanjos choram e mamãe não vê (desde que sejam NO PAIN, NO GAIN, Hardcore mesmo) hoje com certeza teria um shape bem louco (desde que os demais fatores se mantivessem inalterados), mas como a grande maioria eu queria resultados imediatos, e constantemente vinham as comparações com aqueles brutamontes que já treinavam há diversos anos, e eu um reles chassi de grilo querendo se igualar em apenas dois meses de treino.
Eu estariam assim hoje se tivesse me dedicado desde o início.

 Pouco tempo depois de me formar Técnico em Informática,  abri um MEI para trabalhar com criação de sites, já atuava na área gráfica, e decidi enveredar por esse ramo, no começo aquela empolgação, ideias, criação de peças, mídias sociais, divulgação e tudo mais, até que as coisas começaram a não sair conforme havia imaginado.

A situação foi ficando ruim, não aparecia cliente nesse novo negocio e no antigo as coisas não fluíam bem, e para terminar de liquidar a fatura, nesse período peguei um carro emprestado e acabei batendo o dito cujo, aí foi o fim da picada, as coisas já estavam ruim, os trabalhos não apareciam, até parecia uma conspiração contra o Marombeiro Autônomo, foi até por conta disso e mais alguns outros fatores que pouco tempo depois resolvi largar tudo para o alto e mudar de cidade e de estado e começar tudo do zero, mas isso será assunto para um próximo post.

Retomando o raciocínio, me lembro que logo nos primórdios da minha vida de trabalhador autônomo, comecei por diversas vezes o controle das minhas finanças numa planilha fantástica do IDEC de Orçamento Doméstico, mas nunca continuava, pois era chato, trabalhoso e larguei mão disso por infinitas vezes.

Paralelo a isso, não me recordo ao certo, mas em algum momento nesse período entre 2010 e 2013, comecei pesquisando sobre bolsa de valores e até me inscrevi no simulador da FolhaInvest, me recordo que na época eu não sabia nada com nada, mas como geral falava disso eu revolvi ir atrás inclusive mandei mensagem para o líder  do simulador na época para saber como ele fazia, e disse que trabalhava com análise técnica e fundamentalista para escolha de ações e outras coisas, como a linguagem era muito estranha, larguei mão de novo disso tudo.

Mais recente, veio novamente o Inglês, perdi as contas de quantas vezes já iniciei e parei os estudos, desta vez me deparei com outra ferramenta que para quem está começando é excepcional, o Duolingo. Atrativa, limpa, visual fabuloso, e conta com sistemas de premiação, vidas, ofensivas bem interativo para manter a galera motivada, muito boa, evolui um pouco nela, mas novamente parei.


Duolingo
Duolingo, Incrível ferramenta, e o melhor é de Graça

Iniciei também um blog sobre intercâmbio, a ideia era ser uma comunidade com diversas pessoas que já viveram o sonho ou que ainda estão na expectativa do intercâmbio. Compartilhando experiências, ideias, planos e ajudar a galera com isso, no começo novamente aquela empolgação, criação de peças, logo, site, fanpage, twiter, instagram, google + e tudo o resto que possa imaginar, só que mais uma vez não sai como esperado, todos a quem recorriam para contar suas experiências me davam cano, e a faculdade me consumindo acabei não dando mais atenção, a hospedagem resolvi não pagar mais, e o domínio vence no próximo mês, estou indeciso se continuo com ele, para tentar novamente fazê-lo ou se mais uma vez deixo de lado.

A questão do Blog de Intercâmbio é um pouco mais complexa (ou talvez nem seja, pode ser apenas eu colocando empecilho novamente), pois como já falei em outro post, fui através da vontade de fazer intercâmbio que descobri o mundo das finanças, pois sempre tive vontade de morar fora do país e o intercâmbio era o pontapé inicial para isso.

Tinha a intenção de fazê-lo logo após a faculdade, passar um ano sabático na imersão de uma nova cultura para aprender inglês e quem sabe ir prorrogando até consegui uma forma de de ficar por lá (pensei até mesmo casar com uma gringa, mas já sou casado, rsrsrsrs). Inclusive essa questão de intercâmbio sempre foi motivo de briga com a patroa, confesso que já pensei diversas vezes em ir mesmo sem ela querer, e se quisesse a separação, paciência pelo menos ficava mais fácil casar com uma gringa.

Mas resolvi postergar o intercâmbio para focar na Independência Financeira, pensei comigo:
Vou gastar de 30 a 50k para passar um ano fora, quanto esse valor me renderia de juros ao ano, e quanto o mesmo me aproximaria da minha IF?
Passei a pensar dessa forma, depois que sai da caverna descrita por Platão no Mito da Caverna , pude perceber após isso que existe um mundo lá fora, inexplorado com diversas possibilidades e com diferentes perspectivas totalmente contrárias  daquelas vividas e evidenciadas quando outrora se encontrava aprisionado.
Mito da Caverna - Platão
Nascemos aprisionados, aquilo que enxergamos e achamos são ilusões manipuladas e impostas pela sociedade.

Após algumas reflexões, percebi e compreendi que de fato tenho um problema, muitas vezes não consigo finalizar as coisas, sou muito impaciente e ansioso, tenho tendência de deixar as coisas pela metade, apesar de quando inicio, dou dedicação total aquilo, não consigo manter uma efetividade, uma constância naquilo, o que pode me ocasionar diversos problemas.

Acredito que a Intensidade tem sim a sua importância em algumas situações (musculação por exemplo, o HIIT é mais eficaz do que passar 2 horas por dia, todo dia fazendo aeróbico leve ou moderado para perder peso), porém acredito que na maioria dos casos a efetividade é mais importante.

No objetivo de conquistar a IF, de que adianta começar aportando horrores, poupando até o papel higiênico utilizando os dois lados, se só conseguirá manter por 5~6 meses, creio que isso não faz sentido, claro que isso também pode ser utilizado como desculpa, mas acredito que efetividade tende a ser bem mais útil do que a intensidade na maioria dos casos.


Isso vale também para outros aspectos da vida, estudar inglês é um caso clássico. No inicio com toda aquela empolgação, você estuda 2~3 horas por dia, se conseguir manter isso ótimo, mas se não é muito mais produtivo reservar 15~20 minutos diários para o estudo, pois mais uma vez de nada adianta estudar 3 horas por dia, durante uma ou duas semanas e depois largar mão, é mais interessante manter a constância e ser efetivo ao dedicar período de tempo mais modesto, porém que você consiga manter.

Este post também servirá para que eu me lembre da lição:
 De nada adianta Intensidade, se não houver Efetividade. 
Então é isso pessoal, e vocês o que acham? compartilham da mesma opinião, concordam, discordam?




Post Anterior
Próxmo Post

Escrito por:

Um marombeiro, que ama puxar ferro, ler sobre finanças e investimentos, na saga pela tão sonhada independência Financeira, mesmo não possuindo muitos recursos para isso

26 comentários:

  1. Vc precisa encontrar o seu ritmo, da mesma forma que nos treinos de academia vc precisa se conhecer para melhorar. Já sabe que seu defeito é começar e não terminar, cri um plano de ação.

    Tente estipular metas de curto médio e longo prazo talvez ajude.

    Me considero seu oposto faz 8 meses que não vou para academia, por isso criei esse apelido.

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Galo, tenho que procurar melhorar isso mesmo, agora que criei a consciência do problema, espero que fique mais fácil. quanto a Academia porque não segue firme mano, pensa os benefícios que isso pode trazer, eu quando iniciei era bem magro tbm mano, e bem alto, depois dá uma lida no post: http://marombainvestidor.blogspot.com.br/2017/08/como-comecei-na-maromba.html. ainda não tinha add ao blogroll, esqueci, acabei e de addd.

      Excluir
  2. Mesma coisa aqui, parece até minha história de vida.

    Recentemente renunciei de algumas coisas que eu gostava muito pra focar no que realmente importa. No momento só tenho trabalho e faculdade pra me focar e a estratégia tem dado muito certo.

    Lembro que minha namorada vivia dizendo que eu fazia um monte de coisas e não dava atenção direito pra ela. Mas eu vivia me martirizando, achando que fazia poucas coisas e que não me empenhava o suficiente. Um dia decidi colocar tudo na ponta do lápis e me assustei com a quantidade de coisas que tinha pra fazer. Larguei alguns hobbies e resolvi me focar no que interessa. Eu continuo ansioso, mas num nível menor e com menos coisas que servem de estopim pra ansiedade.

    Vai que dar uma olhada nas suas atribuições e renunciar de algumas não seja uma boa pra você também?

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Wannabe, vou tentar fazer isso também mano, focar no que interessa.

      Excluir
  3. Olá MI,

    Eu já usei o Duolingo, acho que preciso voltar a usá-lo para dar uma revisada. Eu fui até o final tanto no inglês quanto no espanhol. Hoje estou estudando esses idiomas por outros meios.

    Geralmente quando começo uma coisa eu vou até o fim. Analise primeiro as coisas antes de começar para não parar no meio do caminho. Pelo menos isso funciona comigo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Cowboy, não fui até o fim do duolingo, eu sou muito impulsivo, meto a cara de vez, nem sempre analiso as coisas. Qual os meios que você usa agora para estudar?

      Excluir
  4. Os dois são importantes. Em algumas áreas um mais que o outro.
    Eu utilizo de uma lista de objetivos e imagens pra me motivar, exposto em um local bem visível.
    Aprendi com o Arnold Schwarzenegger, que fazia isso desde os primeiros dias de Maromba. Aliás leia o livro dele! Tem as respostas que você procura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala CF, obrigado pela dica, na maromba por exemplo eu uso esse tipo de técnica, imagino sendo aquelas caras gigantes que admiro, vou procurar estender isso para outras áreas

      Excluir
  5. Camarada, gostei muito do post. O caminho é esse mesmo. Se ficar muito na pressão, uma hora você explode. O segredo é manter doses pequenas e constantes. Em relação à procrastinação (começar e não terminar, ou simplesmente adiar) te indico esse artigo do macaquinho. Eu também era muito procrastinador e ele abriu meus olhos.

    http://www.clubedospoupadores.com/enriquecimento/distracao-procrastinacao-dinheiro.html

    Abraços e continue postando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Bufunfa, obrigado pela dica, vou ler agora, o conteúdo dele é excelente. e porque macaquinho?

      Excluir
    2. Agora entendi o macaquinho, obrigado pela indicação da leitura

      Excluir
  6. Também tenho essas paradas de começar e abandonar..

    O cara da foto é o Frank McGrath, gigantossauro..

    Abracos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala BnA, sim é o Frank, o cara é foda mano, o antebraço dele é maior que minha cabeça. sou fã desse freak loouco, é um animal esse cara.

      Excluir
  7. muito bom o post camarada! Espero que consiga realizar seus planos. Essa ideia de um pouco por dia é a melhor arma contra a procrastinação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Gregório, sim é foda essa tal de procrastinação, na faculdade é mais lasca ainda, pois sei que tenho que fazer e fico só adiando

      Excluir
  8. Às vezes desistir faz bem, isso é sua intuição te falando que isso ou aquilo é apenas uma perda de tempo. Quantas vezes eu não fiz cagadas na vida só porque tinha que completar alguma coisa? Minha faculdade foi o maior exemplo de cagada da minha vida. Na metade dela eu já queria sair. Só não sai por pressão externa dizendo que ter a faculdade adiantaria minha vida, e me fiz acreditar nisso. Fiquei 2 anos em um estágio pagando mixaria e não sai para outros pagando melhor por quê? Porque tinha que terminar a faculdade e não queria trocar algo certo pelo incerto.

    Quando terminei ela logo em seguida surgiu um emprego em que me prometeram mundos e fundos, não pensei 2x vezes (já sabia que seria uma merda, mas mesmo assim fui), mas eu fui pensando: Tenho que terminar meus estudos, vou pagar meu MBA com esse salário. E foi assim durante 10 meses até que cancelaram a turma por falta de alunos, logo que recebi essa noticia fui pedido a minha demissão. No mesmo dia que eu fui assinar a carteira nesse emprego a tim tinha me ligado para trainee. Não fui porque achava que o outro era mais certo. No meu antigo eu podia dar um migué e participar dessas seleções, mesmo que não passasse eu ainda estaria empregado na empresa com salário mixaria. A tentativa não me custaria nada.

    Tem vários projetos que levei até onde não podia, mesmo tendo chances ínfimas de sucesso. Só me ferrei com a minha teimosia, por acreditar no irreal, projeções e estatísticas de ganhos, estudos de meses e etc. Além de dinheiro (recuperável) perdi muito tempo, e ainda continuo perdendo com coisas fúteis só com promessas de retorno. Por isso acho melhor desistir logo que se mostra uma perda de tempo do que insistir até o final, pois eu já sei o final, e o final não será nada do que eu esperei.

    Mas quem sou eu pra dá conselho? Eu sou um Juão Paulo da vida. Sou um merda.

    Ah, para línguas eu prefiro o Hinative. São realmente gringos que te ajudam na língua e não frases pré-programadas.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala PS, mano as vezes a intuição está certo, mas as vezes nos prega peças. quanto as suas experiências acredito que apesar dos problemas você conseguiu tirar lições disso tudo. então creio que nem tudo está perdido. E não se martirize tanto e nem se coloque para baixo mano, o poder da mente faz muita coisa, se pensar que é um fracassado, no fim das contas será, não se deixe enganar pela Matrix, as vezes é nos momentos de crises que são criados os melhores produtos, surgem as melhores possibilidades e conseguimos pensar em coisas que outrora em tempo de bonança não seria possível. Apesar das dificuldades eu sempre procuro enxergar o copo meio cheio, tentando ver o lado bom das coisas sempre, mesmo quando parece que não existe.

      Excluir
    2. Interessante o que o PS escreveu. Eu sou um que me arrependo de não ter desistido no segundo ano da minha faculdade também. Tem coisas que não valem mesmo a pena. Mas de vencer não se pode desistir nunca, por mais demagogo que pareça.

      Excluir
    3. Fala Conhecimento, as vezes nossa intuição nos ajuda, mas as vezes nos arrependemos de não ter feito determinadas coisas. e jamais devemos desistir de vencer.

      Excluir
  9. Olá Maromba. Excelente dica do duolingo. Baixei depois que vi seu blog, e estou há 4 dias. Tá sendo bem produtivo pra mim. Valeu. Espero chegar no final hehe

    Gostei do seu blog, vou adicionar no meu blogroll.

    Dá uma passada lá no meu blog, estou começando também por aqui na finansfera:

    http://diariodefinancasonline.blogspot.com.br

    Forte abraço e fica com Deus
    o/

    Diário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e ae, DFO, que bom que te auxiliei de certa forma, afinal estamos aqui para isso né. eu também retomei os meus treinos, mas vou devagar dessa vez. Já te add ao blogroll. Sucesso ai na jornada

      Excluir
  10. Senhores, primeiramente peço desculpas por utilizar esse canal para explicar que tive imprevistos quanto ao blog, haja vista que este foi suspenso temporariamente em decorrência de comentários ofensivos de anônimos que estão buscando desativar nosso reduto.

    Segundo, agradeço a colaboração e a presença de todos vocês e solicito encarecidamente que divulguem essa notícia.

    Estou buscando solucionar esse imprevisto. Desculpe o transtorno.

    ResponderExcluir
  11. Maromba, excepcional reflexão. Penso que os dois são igualmente importantes, mas em momentos e contextos complementares.
    Intensidade é de fundamental importância para romper a inércia inicial. Como sabemos, pra chegar a um nível aceitável de qualquer habilidade, devemos colocar muito esforço. Numa escala de 0 - 100, pra chegar em 60, requer x esforço, mas os resultados "aparecem". Para chegar do 60 até o 70, requer o mesmo x... e ai que a intensidade começa a fica menos importante, pois ela demanda muita energia.
    Passa a ser mais necessária a efetividade, pois do contrário você será cheio de iniciativa, mas zero de "terminativa", kkk....
    Ou seja, depois é efetividade para manter a roda girando, pq pra subir 10 pontos, requer a mesma energia que para subir os 70 anteriores. É a fase de "refinamento" de qualquer habilidade.
    Nesse contexto, acho q saber o seu motivo/porque faz muita diferença.


    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala FPI, isso mesmo, excelente colocação, há momento em que é necessário intensidade (vide exemplo da esteira e o HIIT) , e há momentos em que efetividade é melhor e realmente cabe cada um definir seu motivo para facilitar a jornada. Sucesso e bons investimentos

      Excluir